Since 1979
12
Jul 08
publicado por Luís Veríssimo, às 11:30link do post | comentar | ver comentários (2)

Definitivamente gosto de ir ao Mercado de Algés. Já soube que irá entrar em obras. Não se sabe ainda é quando. Suspeita-se que as obras irão demorar 3 anos! E também ainda não se sabe para onde os vendedores irão vender as suas coisas nesse meio tempo. Mas não quero falar hoje disso.


Esta semana numa das vezes que fui à praia a Cláudia levou a fruta. Melancia. Era um pavor de melancia. Disse-me que a tinha comprado no Pingo Doce de Algés. Eu ia-me dando uma coisa. Dei-lhe um ralhete. Então a gaja vem a Algés tantas vezes, até faz compras cá e compra-me a fruta no supermercado? Que vá ao Mercado. Ah e tal, nunca vem cá quando o Mercado está aberto. Eu vou! Compro-te as coisas. Então lá fui hoje comprar-lhe a fruta.


Hoje a banca da D. Fátima estava concorrida, como de costume. Reparei então que para além de estar a dona da banca e da sua mãe a atender, estava também o Cristiano, o filho. Fiz questão de ser atendido por ele. Foi ele que cortou a melancia ao meio, foi ele que pesou os tomates, o pepino, as ameixas, a papaia, os pêssegos, as mangas. E foi ele também que me fez um desconto. Desconto esse que a mãe, a D. Fátima, já me faz. Para facilitar os trocos arredondam as contas para baixo, às vezes os descontos são de mais de 10 cêntimos. Qualquer desconto em tempo de crise é coisa bem vinda.


Gosto mesmo deste Mercado. #suspiro# Agora tenho que me despachar que o casamento é mais logo à tarde.


03
Jul 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:51link do post | comentar | ver comentários (4)

... de ver alguns dos chineses que povoam a minha rua. Às vezes dão-me mesmo asco. Deambulam pela rua de loja chinesa em loja chinesa. São umas 3 lojas desde o início da rua e até minha casa. Têm um aspecto descuidado. Os pés são maiores que os chinelos que calçam. Têm os calcanhares gretados e as unhas amareladas. As lojas chinesas da minha rua não me atraem mesmo.


... de sentir o cheiro a suor do meu colega de secretária. Às vezes é insuportável. Quase todos os dias vai trabalhar com um activo cheiro a suor. Quer esteja calor quer esteja frio, o cheiro é o mesmo. Este meu colega "come" palavras, não se sabe explicar e diz "pronts". Às vezes tem um resto (escuro) de saliva num dos cantos da boca. Consegue passar mais de oito horas sem comer nada.


... de errar profissionalmente. É mesmo algo que detesto. Estou mesmo a precisar de férias. O que me vale é que começam já amanhã. Vai ser uma semana inteirinha com quase nada para fazer. Com muita praia e muitos petiscos. Desde Dezembro que não tinha uns dias de descanso. Tenho apenas que ir a casa da minha avó paterna. E apenas tenho o casamento. Estou nervoso, muito nervoso.


... de muitas mais outras coisas!


07
Jun 08
publicado por Luís Veríssimo, às 07:20link do post | comentar | ver comentários (1)

Tenho dedicado (muito) pouco tempo a este blog. Ando numa fase em que escrever me cansa. Depois da mudança de casa ainda não tenho internet em casa e este facto contruibui para andar um pouco ausente. Mas a minha vida segue já, já dentro de momentos...


 


Viver em Algés tem a sua piada. No fim-de-semana passado fui pela primeira vez ao Mercado de Algés. Senti-me como peixe na água, apesar de não ter comprado peixe (também este andava escasso devido à greve). Comprei as minhas frutas na banca que achei ser mais simpática. Desde os tempos em que em miúdo ia à Praça com os meus pais em Setúbal acho intrigante a forma como se escolhe determinada banca para comprar as coisas que precisamos. Quem faz as bancas de fruta simpáticas são as vendedoras pois está claro. Gostei de ter sido tratado por "tu" (coisa rara em mim quando não conheço as pessoas e ainda não estou ambientado a determinado sítio). Sou uma pessoa de hábitos, apesar de não parecer. Gosto de ir sempre ao mesmo sítio comprar o pão. Gosto de ir sempre ao mesmo sítio comprar a fruta. Gosto de ir sempre ao mesmo sítio comprar a carne. Etc. Do que gosto realmente ao ir aos mesmos sítios é sentir que os/as vendedores/as me reconhecem e me estimam e me tentem preservar como cliente. Se um/a vendedor/a ou um/a empregado/a me conquista tem em mim um cliente mais do que fiel. Mas é muito importante que a conquista seja mútua. Mais daqui a pouco volto a ir ao mercado comprar as minhas frutas e espero que já haja melancia...

tags:

26
Mai 08
publicado por Luís Veríssimo, às 18:07link do post | comentar | ver comentários (3)

Estive nestes últimos dias a preparar e a fazer a mudança de casa. Já deixei Arroios e começo agora, aos poucos, a ambientar-me a Algés. A nova casa está um verdadeiro caos. Faltam desencaixotar dezenas de coisas. Hoje de manhã perdi meia hora à procura da roupa interior. Nalgumas divisões nem me consigo mexer. Tenho tanta sorte em ter alguns amigos a ajudarem-me na organização, na logística e na execução dalgumas tarefas. Mas ainda falta arrumar e planear tanta coisa. Ainda por cima não consegui tirar esta última semana de Maio de férias. Estou a começar a ficar saturado por não me conseguir mexer dentro de casa. Doem-me tanto as costas... apesar de ter contratado uma empresa de mudanças que encaixotou tudo, desmontou os móveis e montou-os novamente. Preciso de férias, preciso de dormir e preciso de sopas e descanso urgentemente.


mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO