Since 1979
30
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:41link do post | comentar

Bossa Nova


O ano de 2008 tem sido prodigioso em reinvenções na Bossa Nova. Este mês trago-vos duas vozes femininas: uma loira e outra morena. Aléxia Bomtempo e Fernanda Takai pegaram em coisas novas e antigas e deram-lhes uma roupagem nova muito própria. Ora oiçam e leiam...













1. Nuvem d' Água, Aléxia Bomtempo, Astrolábio (2008)


Aléxia Bomtempo (n. ????) é sem dúvida uma lufada de ar fresco na música brasileira. De voz quase sumida mas poderosa. Fui buscar ao seu primeiro álbum a solo (Astrolábio de 2008) uma música original. Nuvem d' Água, escrita por Aléxia, retrata bem a essência da Bossa Nova, apesar de poder ser mais facilmente identificada com a MPB (música popular brasileira).
1. Nuvem d' Água
Quando dá saudade eu evaporo
E viro uma nuvem d' água pra chover em você
Depois vou pegando uma toalha
De raios de sol para te secar
O vento bate em seus cabelos
E vai fazendo uma onda levantar
Que me carrega com velocidade
Pra onde quero chegar
Quero Chegar

Quando falta abraço
Eu dou defeito
Carinhos e beijinhos
Me fazem funcionar perfeito














2. Odeon, Fernanda Takai, Onde Brilham os Olhos Seus (2007)


Fernanda Takai (n. 1971) é tida como a "nova" Nara Leão. Não só pela maneira como se veste, mas também pela forma como canta. O seu primeiro álbum a solo, Onde Brilham os Olhos Seus de 2007, apesar de reportar à Bossa Nova tem muitos laivos de pop e de rock. Deste álbum escolhi Odeon uma música, um chorinho, que está nos primódios da Bossa Nova.
2. Odeon
Ai quem me dera
O meu chorinho tanto tempo abandonado
E a melancolia que eu sentia
Quando ouvia
Ele fazer tanto chorar

Ai nem me lembro tanto, tanto
Todo encanto de um passado
Que era lindo, era triste, era bom
Igualzinho ao chorinho chamado Odeon

Pensando flauta e cavaquinho
Meu chorinho se desata
Tira da canção do violão esse bordão
Que me dá vida e que me mata
É só carinho o meu chorinho
Quando pega e chega assim, devagarzinho
Meia-luz, meia voz, meio-tom
Meu chorinho chamado Odeon

Ai vem depressa
Chorinho querido, vem
Mostrar a graça que o choro sentido tem
Quanto tempo passou, quanta coisa mudou
Já ninguém chora mais por ninguém

Ah, quem diria que um dia, chorinho meu
Você viria com a graça que o amor lhe deu
Pra dizer não faz mal
Tanto faz, tanto fez
Eu voltei pra chorar com vocês

Chora bastante o meu chorinho
Teu chorinho de saudade
Diz ao bandolim pra não tocar tão lindo assim
Porque parece até maldade
Ai meu chorinho, eu só queria
Transformar em realidade a poesia
Ai que lindo, ai que triste, ai que bom
De um chorinho chamado Odeon

Chorinho antigo, chorinho amigo
Eu até hoje ainda persigo essa ilusão
Essa saudade que vai comigo
E até parece aquela prece de sai só do coração
Se eu pudesse recordar e ser criança
Se eu pudesse renovar minha esperança
Se eu pudesse me lembrar como se dança
Esse chorinho que hoje em dia ninguém sabe mais

Chora bastante o meu chorinho
Teu chorinho de saudade
Diz ao bandolim pra não tocar tão lindo assim
Porque parece até maldade
Ai meu chorinho, eu só queria
Transformar em realidade a poesia
Ai que lindo, ai que triste, ai que bom
De um chorinho chamado Odeon

Não dá para ver ou ouvir...
Abraço.
pinguim a 1 de Setembro de 2008 às 00:28

Não te aparecem as caixas de media player? Nem te aparece o botão do play nessas caixas?
É que já estive a rever os códigos das músicas e tudo funciona... não consegues ouvir as músicas na mesma?
Luís V a 1 de Setembro de 2008 às 19:39

Amigo Luís
tudo na mesma; aparecem-me duas janelas apenas com um X e clico lá e nada...
Abraço.
pinguim a 2 de Setembro de 2008 às 01:17

Já verifiquei em vários PC's e tudo funciona... as músicas ouvem-se bem. No código html não há mesmo nenhum problema. Não sei o que possa ser...
Abraço.
Luís V a 2 de Setembro de 2008 às 07:52

mais sobre mim
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14

19
20
22
23

24
29



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO