Since 1979
31
Dez 08
publicado por Luís Veríssimo, às 15:56link do post | comentar

Bossa Nova


Neste último mês do ano, neste último dia do ano, apresento-vos o 12.º post deste périplo sobre os 50 anos da Bossa Nova. Para acabar o ano em beleza dou-vos a conhecer as duas primeiras canções do que é considerado o primeiro álbum de Bossa Nova. O LP Canção do Amor Demais de Elizete Cardoso apresenta em 1958 ao Brasil e, por arrasto, ao Mundo o swing jazzístico brasileiro, apelidado de Bossa Nova, tendo como grandes repercussores Vinícius de Moraes e António Carlos Jobim.













1. Chega de Saudade, Elizete Cardoso, Canção do Amor Demais (1958)


Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai

Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim













2. Serenata do Adeus, Elizete Cardoso, Canção do Amor Demais (1958)


Ai, a lua que no céu surgiu
Não é a mesma que te viu
Nascer nos braços meus
Cai, a noite sobre o nosso amor
E agora só restou do amor
Uma palavra: Adeus
Ai, vontade de ficar mas tendo que ir embora
Ai, que amar é se ir morrendo pela vida afora
É refletir na lágrima, um momento breve
De uma estrela pura cuja luz morreu
Ai, mulher, estrela a refulgir
Parte, mas antes de partir

Rasga meu coração
Crava as garras no meu peito em dor
E esvai em sangue todo o amor
Toda desilusão
Ai, vontade de ficar mas tendo que ir embora
Ai, que amar é se ir morrendo pela vida afora
É refletir na lágrima um momento breve
De uma estrela pura cuja luz morreu</span></span>
</div></div></div></div></div></div></div></div></div></div>

mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

14
15
16
17
19
20

21
26
27

28
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO