Since 1979
12
Abr 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:30link do post | comentar

E a saga Bossa Nova continua.


Em Fevereiro último levantei nesta saga o problema da Bossa Nova estar ou não a ser reinventada. Indo mais a fundo na questão: se teria os seus dias contados. Para comprovar que a Bossa Nova poderá respirar de alívio trago-vos este mês duas excepcionais cantoras: Bebel Gilberto e Maria Rita. Ambas são filhas de peixe. Ambas estão mais ligadas ao samba. Ambas com voz e corpo muito bonitos. 


 







 1. Um Segundo, Bebel Gilberto, Momento (2007)


Bebel Gilberto (n. 1966) é filha de João Gilberto e Miúcha. Dela apresento-vos a música "Um Segundo" do seu último álbum. Desta música gosto da forma como as palavras estão encadeadas. Sinto que esta música tem uns laivos de jazz, sobretudo lá mais para o final. É uma das melhores músicas deste álbum.


 


1. Um Segundo


De tanto esperar você me ligar

Eu não pude me controlar

Acabei por ligar de novo então

Então te mostrar tudo em vão



Te dou apenas um segundo

Pra me encontrar bem lá no fundo

Pra então me mostrar o que eu não pude ver

O que eu não pude ser



Me dê só mais um segundo

Pra te dizer lá no meu mundo

O que eu não pude mais dizer

Não pude te contar, não pude mais falar



De tanto contar com você pra dançar

Eu não sei mais como levar

Sem ter mais nenhum volume no meu som

Eu não sei como mais cantar



Te dou apenas um segundo

Pra me encontrar lá bem no fundo

Pra me pecar e me rolar, pra me deixar contar

O que eu não sei contar



Te dou apenas um segundo

Pra me dizer baila no fundo

O que não soube te contar, não soube mais falar

Não soube mais cantar...
 


 







2. Pagu, Maria Rita, Maria Rita (2003)


Maria Rita (n. 1977) é filha de Elis Regina e de César Camargo Mariano. Tentou sempre afastar-se da sombra da mãe e até tem conseguido. A versão desta música aqui apresentada é a do primeiro álbum. Tinha Maria Rita na altura uns 26 anos, ainda não tinha a voz bem formada. Agora com 31 anos esta música soa muito melhor.


 


2. Pagu


Mexo, remexo na inquisição

Só quem já morreu na fogueira

Sabe o que é ser carvão

Eu sou pau pra toda obra

Deus dá asas à minha cobra

Minha força não é bruta

Não sou freira nem sou puta



Porque nem toda feiticeira é corcunda

Nem toda brasileira é bunda

Meu peito não é de silicone

Sou mais macho que muito homem




Sou rainha do meu tanque

Sou Pagu indignada no palanque

Fama de porra-louca, tudo bem

Minha mãe é Maria-Ninguém

Não sou actriz-modelo-dançarina

Meu buraco é mais em cima



Porque nem toda feiticeira é corcunda

Nem toda brasileira é bunda

Meu peito não é de silicone

Sou mais macho que muito homem


Muito boas, como sempre. Adorei a letra da segunda... Hehehe...
oqueeuacho a 13 de Abril de 2008 às 19:48

mais sobre mim
Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

17
19

24
26

29


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO