Since 1979
31
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 19:13link do post | comentar | ver comentários (13)

Considero-me alentejano, não por ter nascido no Alentejo, mas por toda a minha família ser da região e por ter lá vivido na adolescência. Como já andava com saudades daquelas planícies resolvi fazer uma Açorda de Gambas. Para a degustação convidei 5 pessoas. Deliciaram-se... Aqui fica a receita:



Receita para 6 pessoas:



Ingredientes:

- um pão do tipo alentejano de 1kg;

- duas gambas grandes com casca por cada pessoa;

- 100gr de gambas descascadas;

- 200gr de camarões descascados;

- 6 ovos;

- uma cabeça de alhos;

- um ramo de coentros;

- óregãos;

- azeite;

- sal.



Preparação:

Cozi as gambas grandes com casca em água apenas temperada com sal. Coloquei também nesta água, como costumo colocar sempre, umas cascas de cebola (coisas que eu via o meu pai e a minha mãe fazerem quando ficava especado a vê-los cozinhar). Depois de cozinhadas as gambas, retirei-as da água e reservei-as. Passei a água das gambas por um coador e cozi nessa água as gambas e os camarões sem casca. Assim que cozeram reservei-os também. Coei novamente a água e deixei-a repousar um pouco. Cortei o pão aos bocados e fui colocando um pouco da água das gambas por cima. Depois de amolecido o pão, passei-o de forma grosseira com a varinha mágica. Ficou criada assim uma papa homogénia de pão. Reservei-a. Numa panela antiaderente aloirei em azeite os alhos previamente picados e esmagados. Juntei a este "refogado" o molho de coentros, parte deles cortados grosseiramente e esmagados, e outra parte picados finamente. Deixei o lume aquecer os coentros e juntei logo de seguida a papa feita com o pão. Mexi bem para que os coentros e os alhos se juntassem à papa. Nesta altura revi a consistência da papa e juntei-lhe mais um pouco da água das gambas. Reduzi o lume para o mínimo e fui colocando um ovo de cada vez, mexendo sempre a cada ovo. Depois de adicionados os ovos juntei as gambas sem casca e mexi o preparado muito bem, para que todos os ingredientes se unissem bem. Deixei a mistela em lume brando para que os ovos cozinhassem bem. Voltei a colocar as gambas grandes com casca ao lume (brando), na água da sua cozedura, para as aquecer. Servi a açorda bem quente. Ao servir fui decorando os pratos com as gambas com casca.



Notas:

De entrada foram servidos queijinhos frescos temperados no momento. E foram acompanhados com uma salada de alface com maçã verde.

A regar a refeição foi servido um vinho verde de Ponte da Barca e um branco das Terras do Sado.


30
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:41link do post | comentar | ver comentários (4)

Bossa Nova


O ano de 2008 tem sido prodigioso em reinvenções na Bossa Nova. Este mês trago-vos duas vozes femininas: uma loira e outra morena. Aléxia Bomtempo e Fernanda Takai pegaram em coisas novas e antigas e deram-lhes uma roupagem nova muito própria. Ora oiçam e leiam...













1. Nuvem d' Água, Aléxia Bomtempo, Astrolábio (2008)


Aléxia Bomtempo (n. ????) é sem dúvida uma lufada de ar fresco na música brasileira. De voz quase sumida mas poderosa. Fui buscar ao seu primeiro álbum a solo (Astrolábio de 2008) uma música original. Nuvem d' Água, escrita por Aléxia, retrata bem a essência da Bossa Nova, apesar de poder ser mais facilmente identificada com a MPB (música popular brasileira).
1. Nuvem d' Água
Quando dá saudade eu evaporo
E viro uma nuvem d' água pra chover em você
Depois vou pegando uma toalha
De raios de sol para te secar
O vento bate em seus cabelos
E vai fazendo uma onda levantar
Que me carrega com velocidade
Pra onde quero chegar
Quero Chegar

Quando falta abraço
Eu dou defeito
Carinhos e beijinhos
Me fazem funcionar perfeito














2. Odeon, Fernanda Takai, Onde Brilham os Olhos Seus (2007)


Fernanda Takai (n. 1971) é tida como a "nova" Nara Leão. Não só pela maneira como se veste, mas também pela forma como canta. O seu primeiro álbum a solo, Onde Brilham os Olhos Seus de 2007, apesar de reportar à Bossa Nova tem muitos laivos de pop e de rock. Deste álbum escolhi Odeon uma música, um chorinho, que está nos primódios da Bossa Nova.
2. Odeon
Ai quem me dera
O meu chorinho tanto tempo abandonado
E a melancolia que eu sentia
Quando ouvia
Ele fazer tanto chorar

Ai nem me lembro tanto, tanto
Todo encanto de um passado
Que era lindo, era triste, era bom
Igualzinho ao chorinho chamado Odeon

Pensando flauta e cavaquinho
Meu chorinho se desata
Tira da canção do violão esse bordão
Que me dá vida e que me mata
É só carinho o meu chorinho
Quando pega e chega assim, devagarzinho
Meia-luz, meia voz, meio-tom
Meu chorinho chamado Odeon

Ai vem depressa
Chorinho querido, vem
Mostrar a graça que o choro sentido tem
Quanto tempo passou, quanta coisa mudou
Já ninguém chora mais por ninguém

Ah, quem diria que um dia, chorinho meu
Você viria com a graça que o amor lhe deu
Pra dizer não faz mal
Tanto faz, tanto fez
Eu voltei pra chorar com vocês

Chora bastante o meu chorinho
Teu chorinho de saudade
Diz ao bandolim pra não tocar tão lindo assim
Porque parece até maldade
Ai meu chorinho, eu só queria
Transformar em realidade a poesia
Ai que lindo, ai que triste, ai que bom
De um chorinho chamado Odeon

Chorinho antigo, chorinho amigo
Eu até hoje ainda persigo essa ilusão
Essa saudade que vai comigo
E até parece aquela prece de sai só do coração
Se eu pudesse recordar e ser criança
Se eu pudesse renovar minha esperança
Se eu pudesse me lembrar como se dança
Esse chorinho que hoje em dia ninguém sabe mais

Chora bastante o meu chorinho
Teu chorinho de saudade
Diz ao bandolim pra não tocar tão lindo assim
Porque parece até maldade
Ai meu chorinho, eu só queria
Transformar em realidade a poesia
Ai que lindo, ai que triste, ai que bom
De um chorinho chamado Odeon

28
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:02link do post | comentar | ver comentários (6)

Na sexta-feira passada tive que dar de jantar a quatro alminhas. Por sugestão de uma das alminhas, o Joni, fiz uns deliciosos Cogumelos Pleurotus no Forno com Tomates Gratinados com queijo feta e acompanhados com salada de alface ripada. Esta receita não tem mesmo nada que saber. É das coisas mais simples que se podem fazer na cozinha e faz um brilharete de primeira. Fica aqui a receita:

Receita para 4 pessoas:

Ingredientes:
- 400gr de cogumelos pleurotus;
- 4 tomates;
- queijo feta;
- óregãos;
- pimenta;
- azeite;
- sal.

Preparação:
Dispõe-se os pleurotus num tabuleiro, utilizei o do forno, previamente untado com azeite. Polvilham-se os cogumelos apenas com sal, óregãos e pimenta. Noutro tabuleiro, também untado com azeite, colocam-se os tomates (nem verdes, nem maduros, mas rijos) apenas abertos em quatro. Nessas aberturas coloca-se um pouco de queijo feta. Tal como com os pleurotus, também se polvilham os tomates apenas com sal, óregãos e pimenta. E vão ao forno (no máximo) ao mesmo tempo os cogumelos e os tomates durante 15 minutos. Depois de desligado o forno, deixam-se a repousar durante mais uns 5 minutos. E por fim é só comer.

Notas:
O manjar foi acompanhado com uma salada de alface ripada à qual juntei uma pêra.
Em vez do queijo feta pode ser utilizado outro queijo que derreta mais.


27
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 17:57link do post | comentar | ver comentários (1)

"Acaba de comer uma fatia de bolo. Hoje é o seu aniversário. Já perdeu a conta aos anos que faz. E a idade que está no seu bilhete de identidade não é a real. No seu tempo, como havia uma grande mortalidade infantil em Portugal, as crianças eram apenas registadas depois de serem baptizadas e depois de completarem pelo menos um ano de idade. Nem todos os netos ainda lhe telefonaram. Mas já ficou particularmente satisfeita por pelo menos um deles lhe ter telefonado. Hoje fizeram-lhe um bolo. Chegou a soprar as velas e tudo. O bolo foi-lhe feito pela amiga Hélia, a empregada da sua vizinha Dra. Ana. A vizinha e a amiga ofereceram-lhe uma varinha mágica. Ficou tão contente que até uma lágrima lhe espreitou nos olhos. Se não fosse aquela casa já teria feito uma besteira, como costuma dizer."


26
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:06link do post | comentar | ver comentários (4)

Tenho andado tão ocupado com tanto em que pensar, que nem fiz umas considerações sobre o final dos Jogos Olímpicos 2008. Organizei para sábado passado uma ida a Tróia e a Setúbal para uns amigos e conhecidos. A "movimentação sentimental" tem andado a evoluir de forma bastante favorável. E tenho também andado a preparar a terceira mudança do ano. Ou seja, tenho tido muito em que pensar e muito pouco tempo de jeito para o blog.


25
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 15:32link do post | comentar | ver comentários (3)


... que o Chiado ardeu. Tenho algumas lembranças de como era antes do incêndio. E lembro-me perfeitamente de ver os edifícios a arder. Recordo-me que uma sensação angustiante percorreu-me o corpo quando na altura vi as imagens que passaram na televisão.


21
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 19:12link do post | comentar | ver comentários (3)

Nélson Évora é o novo campeão olímpico do triplo salto, com um salto de 17,67m. É uma medalha mais do que merecida. Parabéns!



Foto roubada ao Sapo.


publicado por Luís Veríssimo, às 07:55link do post | comentar | ver comentários (2)

Foram 153 os mortos no acidente de ontem da Spanair no aeroporto de Barajas em Madrid...


1.


2.


Foto 1. retirada do site do jornal El Mundo e foto 2. do site do jornal El País.


18
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 09:37link do post | comentar | ver comentários (6)

1.


Esta madrugada Vanessa Fernandes sagrou-se bi-campeã olímpica. A sua eterna rival, a australiana Emma Snowsill, foi a vencedora da prova. Vanessa irá trazer para casa a sua primeira medalha conquistada em jogos olímpicos. Esta medalha de prata é a primeira portuguesa conquistada em Beijing2008.


2.


A foto 1. foi roubada ao site oficial da triatleta. A imagem 2. foi gamada ao blog do Henrique Monteiro, o HenriCartoon.


17
Ago 08
publicado por Luís Veríssimo, às 17:18link do post | comentar | ver comentários (2)

Michael Phelps escreveu esta noite mais uma página na história do desporto, da natação e dos jogos olímpicos. No último dia de prova da natação, Phelps conquistou a sua oitava medalha de ouro numa única edição olímpica, como havia prometido. Bateu assim o seu compatriota Mark Spitz, que em Munique1972 ganhou 7 medalhas de ouro. Phelps com 16 medalhas olímpicas (conquistou 6 de ouro e 2 de bronze em Atenas2004) está a 2 de igualar o feito da soviética Larissa Latynina que conquistou 18 medalhas (9 de ouro, 5 de prata e 4 de bronze). Para comemorar vejam este vídeo de felicitações, uma mera publicidade da Visa, narrado por Morgan Freeman:



mais sobre mim
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14

19
20
22
23

24
29



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO