Since 1979
29
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 12:10link do post | comentar | ver comentários (3)

Finalmente coloco aqui o post mensal sobre a Bossa Nova.


 


 


Um dos grandes problemas da Bossa Nova é a estagnação. O supostamente estar presa aos grandes músicos, compositores, letristas e cantores do passado. E o estar também presa aos grandes hists dos anos 60, 70 e 80. Parece que a Bossa Nova morreu ao chegar aos anos 90. É verdade que actualmente continuam a ser os músicos do passado a reinventar a Bossa Nova. Exemplos disso temos os seguintes:


 







1. Berimbau, Sérgio Mendes, Timeless (2006)


 


Sérgio Mendes (n. 1941) é um veterano na música brasileira, um autêntico dinossauro. Em 2006 editou o álbum Timeless que foi um grande sucesso nos EUA. O álbum contava com as participações entre outros de Erykah Badu, Stevie Wonder, The Black Eyed Peas e Justin Timberlake, vendo por aqui a importância de Mendes nos EUA. A música que escolhi para retratar a reinvenção feita por Sérgio Mendes de grandes hits do passado foi o clássico Berimbau de Baden Powell e Vinícius de Moraes.


1. Berimbau


Quem é homem de bem não trai

O amor que lhe quer seu bem

Quem diz muito que vai, não vai

Assim como não vai, não vem

Quem de dentro de si não sai

Vai morrer sem amar ninguém

O dinheiro de quem não dá

É o trabalho de quem não tem

Capoeira que é bom não cai

E se um dia ele cai, cai bem



Capoeira me mandou dizer que já chegou

Chegou para lutar

Berimbau me confirmaou vai ter briga de amor

Tristeza camará


 







2. Lobo Bobo, Rosa Passos, Amorosa (2004)


O segundo exemplo de reinvenção de grandes clássicos do passado é de Rosa Passos. Rosa Passos (n. 1952) tem uma voz tão deliciosa que se consegue ouvir durante horas a fio sem nos cansarmos. A versão escolhida é Lobo Bobo de Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli. Não é oficial, mas diz-se que Bôscoli escreveu esta letra com a namorada Nara Leão, sendo esta o Chapeuzinho e ele o Lobo Bobo, numa referência clara à sua relação amorosa. Diz-se também que a primeira versão da letra era ainda mais clara.


2. Lobo Bobo


Era uma vez um Lobo mau

Que resolveu jantar alguém

Estava sem vintém

Mas arriscou

E logo se estrepou

Um Chapeuzinho de maiô

Ouviu buzina e não parou

Mas lobo mau insiste

E faz cara de triste

Chapeuzinho ouviu

Os conselhos da Vovó

Dizer que não pra Lobo

Que com Lobo não sai só



Lobo canta

Pede, promete tudo, até amor

E diz que fraco de Lobo

É ver o Chapeuzinho de maiô

Chapeuzinho percebeu

Que lobo mau se derreteu

Pra ver você, que Lobo também

Faz papel de bobo

Só posso lhe dizer

Chapeuzinho agora traz

Um Lobo na coleira

Que não janta nunca mais


27
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 19:23link do post | comentar | ver comentários (2)

"Ela é muito carente! Está sempre a pedir atenção! Não tenho paciência!" Também não gostei nada destas frases! Nada mesmo! Soaram-me a acusação desnecessária. Ontem à tarde ouvi esta frase da boca duma amiga minha e ex-colega de trabalho. Referia-se a uma outra ex-colega minha e amiga em comum. Não gostei e disse-lho. O beijo de despedida que lhe deu já não soube ao mesmo. O que me valeu foram os beijos deliciosos que dei e recebi da "carente"...


 



Adenda ao post:


Carente; adjectivo


1. que precisa; que necessita;


2. que tem grande necessidade de carinho;


(Do lat. carente-, part. pres. de carére, «ter falta de»)


Fonte Infopédia.


publicado por Luís Veríssimo, às 18:11link do post | comentar

Ontem à tarde fui, de certa forma, acusado de falta de interesse por um dos meus colegas de trabalho no novo emprego.  Com a seguinte frase: "Acho que deverias mostrar-te um pouco mais interessado!". Não gostei!!! Claro! Tentei justificar a minha suposta falta de interesse. O meu colega não se demoveu... Não sei como não lhe dei uma resposta torta! Ainda nem há um mês lá estou! Isto vai ser bonito, vai. Enfim!


 



Adenda ao post:


Interessado; adjectivo e substantivo masculino


que ou aquele que tem interesse em alguma coisa ou tem parte nos lucros de uma empresa;


(Part. pass. de interessar)


Fonte Infopédia.


26
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 12:33link do post | comentar | ver comentários (3)

Às vezes sou ousado. Às vezes sou chato. Às vezes sou libertino. Às vezes sou violento. Às vezes sou agressivo. Às vezes sou ridículo. Às vezes sou perverso. Às vezes sou carinhoso. Às vezes sou capaz. Às vezes sou ordinário.


Às vezes quero, outras não. Às vezes gosto de cafunés , outras gosto ainda mais. Às vezes quero esquecer-me de tudo e todos, e mudar-me para España e encontrar-me com a Penélope Cruz e convidava-a para viver comigo e pedia-lhe para me acordar todos os dias com um Good morning my love!" dito num delicioso sotaque hispânico. Às vezes sou e quero ser feliz, outras nem tanto. Às vezes gosto de jantares demorados, outras gosto de jantares ainda mais longos e saborosos.


Às vezes seria capaz de poder. Às vezes seria capaz de conseguir. Às vezes seria ainda mais objectivo.


Às vezes gosto de ser tontinho, mas um daqueles tontinhos deliciosos e fofos e lindos e que dá vontade, muita vontade, de dar beijinhos repenicados na bochecha por barbear. Às vezes gosto de brincar e de fazer malandrices, muitas bricadeiras, pois sou malandreco. Às vezes gosto de estar à beira mar e ver aquela imensidão de água que me chama e desafia.


Às vezes...


25
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 08:54link do post | comentar | ver comentários (3)


Vencedores: Indiscutivelmente os manos Coen foram os vencedores da noite. Subiram ao palco por três vezes. O seu filme, Este País Não É Para Velhos, arrecadou 4 Oscars® dos 8 possíveis. Outro dos vencedores foi o filme Ultimato que ganhou em todas as categorias para as quais estava nomeado, 3 ao todo.


Vencidos: O grande vencido foi mesmo Paul Thomas Anderson e o seu Haverá Sangue, que só arrecadou 2 das 8 estatuetas. Será que haverão mais oportunidades para os fabulosos dotes do maravilhoso PTA?



Surpresas: Apenas a registar 2 surpresas, curiosamente nas interpretações femininas:  Marion Cotillard (por La Vie En Rose) foi a Melhor Actriz Principal e Tilda Swinton (por Michael Clayton - Uma Questão de Consciência) a Melhor Actriz Secundária quando as favoritas eram outras.


Curiosidades: Os 4 vencedores nas categorias de interpretação são europeus: Tilda Swinton (inglesa); Daniel Day-Lewis (inglês, Melhor Actor Principal por Haverá Sangue); Marion Cotillard (francesa); e Javier Bardem (espanhol, Melhor Actor Secundário por Este País Não É Para Velhos).


Não Gostei: Mais uma vez não achei piadinha nenhuma ao apresentador de serviço, o pouco natural Jon Stewart. Infelizmente sou dos poucos que não gosta deste senhor, não me perguntem porquê. Para o ano quero outra vez a Ellen Degeneres!!!


Gostei: Cada vez mais acho delicioso o sotaque espanhol de Penélope Cruz cada vez que fala inglês. Adorei o facto de Javier Bardem ter agradecido em español aos abuelos e à su mamá.


O Melhor: O discurso de Marion Cotillard foi o melhor discurso e momento da cerimónia. Foi e fez sentido, apesar de não ter havido agradecimentos em francês, viu-se que não estava mesmo nada à espera e que a nomeação já era para si uma benção.


Lista Completa dos Vencedores:


Melhor Filme: Este País Não É Para Velhos;


Melhor Realizador: Joel e Ethan Coen por Este País Não É Para Velhos;


Melhor Actor Principal: Daniel Day-Lewis por Haverá Sangue;


Melhor Actriz Principal: Marion Cotillard por La Vie En Rose;


Melhor Actor Secundário: Javier Bardem por Este País Não É Para Velhos;


Melhor Actriz Secundária: Tilda Swinton por Michael Clayton - Uma Questão de Consciência;


Melhor Filme de Animação: Ratatui;


Melhor Argumento Adaptado: Joel e Ethan Coen por Este País Não É Para Velhos;


Melhor Argumento Original: Diablo Cody por Juno;


Melhor Banda Sonora: Expiação;


Melhor Canção Original: "Falling Slowly" em Once;


Melhor Direcção Artística: Sweeney Tood: O Terrível Barbeiro de Fleet Street;


Melhor Fotografia: Haverá Sangue;


Melhor Guarda-Roupa: Elizabeth: A Idade de Ouro;


Melhor Documentário: Taxi To The Dark Side;


Melhor Curta-Metragem Documental: Freeheld;


Melhor Montagem: Ultimato;


Melhor Filme em Língua Estrangeira: Os Falsificadores;


Melhor Caracterização: La Vie En Rose;


Melhor Curta-Metragem de Animação: Peter and The Wolf;


Melhor Curta-Metragem: Le Mozart des Pickpockets;


Melhor Som: Ultimato;


Melhores Efeitos Sonoros: Ultimato;


Melhores Efeitos Especiais: A Bússola Dourada;


Oscar® Honorário: Robert Boyle.


Oscars® - site oficial.


 

tags:

24
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 14:40link do post | comentar | ver comentários (1)


Hoje lá em casa haverá sopa, crepes e pipocas. Far-se-ão apostas, autênticos tiros no escuro. O cansaço e o sono também serão convidados. Vestidos e mais vestidos, muitos aplausos, algumas gargalhadas e umas tantas ovações serão o prato forte.


Surpresas também as poderá haver, depende sempre é do ponto de vista de cada um. Depois da característica frase "And the Oscar® goes to...", para mim surpresa seria ouvir:


Ratatui (como Melhor Banda Sonora Original);


- Persépolis (como Melhor Filme de Animação);


- Sarah Polley (como Melhor Argumento Adaptado por Londe Dela);


- Tamara Jenkins (como Melhor Argumento Original por The Savages);


- Saoirse Ronan (como Melhor Actriz Secundária por Expiação);


- Casey Affleck (como Melhor Actor Secundário por O Assassínio de Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford);


- Ellen Page (como Melhor Actriz Principal por Juno);


- Johnny Depp (como Melhor Actor Principal por Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro de Fleet Street);


- Julian Schnnabel (como Melhor Realizador por O Escafandro e a Borboleta);


- Michael Clayton - Uma Questão de Consciência (como Melhor Filme).


Atenção: Esta lista não reflecte as minhas apostas, nem as minhas previsões.


Oscars® - site oficial.


22
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 11:04link do post | comentar

Visionado a 21 de Fevereiro de 2008 no dia de estreia.




 


Realização: 5


Fotografia: 5


Montagem: 5


Argumento: 5


Banda Sonora: 5


Média: 5


Classificação Geral: 5 em 5


Aspecto Negativo:


O não ter sido nomeado ao Óscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira.


Aspecto Positivo:


O ser baseado em factos (terrivelmente) reais.


20
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:28link do post | comentar

Visionado a 20 de Fevereiro de 2008.




 


Título: 5


Cartazes: 5


Realização: 5


Fotografia: 5


Montagem: 5


Argumento: 5


Banda Sonora: 5


Interpretações: 5


Efeitos Especiais: 5


Cenários (exteriores): 5


Média: 5


Classificação Geral: 5 em 5


Aspecto Negativo:


As comparações infundadas ao filme O Gigante (The Giant de 1956 de George Stevens).


Aspecto Positivo:


O filme tem uma força incrivelmente avassaladora, principalmente emanada das interpretações, os magníficos Daniel Day-Lewis (Daniel Plainview) e Paul Dano (Paul Sunday / Eli Sunday).


publicado por Luís Veríssimo, às 13:07link do post | comentar

Visionado a 19 de Fevereiro de 2008 em antestreia.




Cenários (exteriores): 5


Genérico: 5


Realização: 5


Fotografia: 5


Montagem: 4,5


Argumento: 5


Guarda Roupa: 5


Banda Sonora: 5


Interpretações: 5


Efeitos Especiais: 5


Média: 4,95


Classificação Geral: 5 em 5


Aspecto Negativo:


O poder ser comparável ao filme Little Miss Sunshine.


Aspecto Positivo:


A deliciosa interpretação de Ellen Page e o humor da sua Juno MacGuff.


17
Fev 08
publicado por Luís Veríssimo, às 20:46link do post | comentar | ver comentários (3)


A independência foi proclamada. A bandeira foi asteada. Orgulhoso, livre e independente. Tem poucas horas o novo rebento do leste europeu. Nasceu! É frágil, mas acredito que tenha força para crescer. Kosovo é o seu nome. Tem a gigante Rússia e a vizinha Sérvia contra este nascimento. Contudo, segundo me constou, o novo país tem o apoio da poderosa Comissão Europeia. E assim lá continua o mais pequeno continente do mundo a ser também o mais dividido.


mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
15

18
19
21
23

28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO